Terça, 05 Julho 2016 20:09

4 variáveis que demonstram que as competências laborais não são tudo

  • Print
  • Email
competencias

Algumas variáveis fazem parte do ser humano desde o seu nascimento, enquanto que outras se aprendem e se desenvolvem com o passar do tempo.
Ninguém duvida do poder que representa avaliar corretamente competências nos candidatos, de forma que se possa identificar aquelas variáveis que são valiosas para as companhias. Mas um candidato é muito mais que uma série de competências. Te mostramos aqui que outras ferramentas podem ser utilizadas para fazer uma avaliação mais confiável e completa:

Talento Natural

Inicialmente, existem variáveis que são fáceis de modificar e outras que não. Algumas variáveis fazem parte do ser humano desde o seu nascimento, enquanto que outras se aprendem e se desenvolvem com o passar do tempo. Entre as que podemos modificar facilmente encontramos as habilidades, a experiência e os conhecimentos , variáveis que erroneamente se baseia um processo seletivo. Para tornar mais claro, uma pessoa com talento pode ter melhores resultados após 5 anos de experiência que uma que , ao contrário, possuem o mesmo tempo de trabalho, mas que não conta com o talento para realizar o seu trabalho.

Quanto às variáveis que são difíceis de modificar, pois são inerentes às pessoas, encontramos as competências, as habilidades cognitivas, a personalidade, os valores e os interesses ocupacionais. Todos esse fatores em conjunto definem o desempenho de um candidato no seu cargo.

Habilidades Cognitivas: São funções que requerem todas as pessoas para conseguirem ser exitosas nos objetivos propostos, pois nos permitem ter facilidade para resolver diferentes problemas de acordo ao contexto. Existem 3 tipos de escalas para medi-las:

- Habilidade Cognitiva Financiera: É definida como a competência de compreensão, raciocínio e codificação da informação com a finalidade de processar adequadamente a informação relacionada com contextos econômicos.

- Habilidade Cognitiva Administrativa: É a capacidade cognitiva para realizar atividades relacionadas com tarefas administrativas. Esta capacidade avalia os processos que implementam as pessoas quando necessitam realizar algum tipo de tarefa ou execução.

- Habilidade Cognitiva Práctica: É aquela encarregada da avaliação de processos requeridos em contextos gerais.

Algumas ferramentas para medir a Habilidade Cognitiva: Inteligência Executiva, Cognitivas.

Personalidade: O comportamento de uma pessoa no contexto laboral pode definir como ela aproveita o seu talento, além de ser crucial no futuro para o clima laboral de uma organização. A forma de reagir de uma pessoa diante de distintos estímulos proveniente do entorno dependerá da intensidade do estímulo e de como é percebido tal estímulo, ou seja, como aliado ou antagônico, assim como a percepção que o candidato tenha de sim mesmo.

No ambiente laboral, a pessoa que ocupa um cargo está envolvida em um cenário que apresenta usualmente altos níveis de interação. Essa interação sugere que o nosso motor interno está trabalhando constantemente para que nos comportemos de acordo às exigências de cada situação que vivemos.

Ferramenta para medir personalidade: Sedisc.

Valores:Uma preocupação constante das organizações se concentra na identificação das características dos empregados relacionadas com a sua confiabilidade, honestidade e integridade. Espera-se que tais características sejam um pilar no comportamento do empregado, independentemente da organização que trabalhe, sob a suposição que um empregado íntegro também é um bom empregado.

No entanto, em muitas ocasiões esse não é o caso, como mencionam Shephard & Duston (1987, em Camara & Schneider, 1994), Gorman (1989, em Camara & Schneider, 1994) e a OTA (Office of Technology Assessment) (1990) no seu relatório ao Congresso dos Estados Unidos, as cifras das perdas das organizações por causa de roubos pequenos, comportamentos de vandalismo ou negligentes, e o uso de substâncias psicoativas, se encontram entre $ 15 e $40 bilhões de dólares ao ano nos Estados Unidos. Dessa forma, é necessário que a partir do processo de seleção se tente identificar as pessoas que sejam mais ou menos propensas a mostrar tais condutas no trabalho.

Com essa ferramenta pode medir Retidão Laboral: Antes Plus.

Interesses Ocupacionais: Em muitas ocasiões, o desempenho de um colaborador é baixo, e a razão do porque ocorrem essas situações é difícil de encontrar. São muitas as pessoas que estudam uma carreira, mas quando já necessitam trabalhar nelas, se encontram com algo totalmente diferente ao que esperavam. É possível identificar quais tipos de ocupações o candidato prefere desenvolver, conseguindo assim que o seu desempenho não se veja forçado a cumprir com o trabalho, pelo contrário, que se sinta fortemente atraído por ele e pelos processos que acompanham o mesmo.

Com essas provas pode medir Interesses Ocupacionais: Alpha, Proa, Sedisc.
Read 391 times Last modified on Segunda, 11 Julho 2016 21:16

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.