Quarta, 13 Julho 2016 22:13

Mulheres líderes ao extremo

  • Print
  • Email
Mujeres lideres al extremo

O número de mulheres empoderadas vem crescendo cada vez mais, conheça aquelas que inspiraram as nossas líderes de hoje.

Conheça aquelas mulheres que levaram a liderança a outro nível, enfrentando as diferenças de classes sociais, culturais e de gênero, outorgando avanços tanto para homens como mulheres.

Margaret Thatcher: Conhecida como a “Dama de Ferro”, deve o seu título às suas políticas radicais que iam desde a diminuição do poder dos sindicatos na Inglaterra e a privatização de empresas estatais, até a Guerra das Malvinas que saiu vitoriosa. Conseguiu ser reeleita 2 vezes como Primeira Ministra da Inglaterra, sendo a primeira e única mulher até agora a ocupar esse cargo.

Madeleine Albright: Disse uma das frases virais mais polêmicas vinda de um personagem político: “Existe um lugar especial no inferno para as mulheres que não ajudam a outras mulheres”. Referia-se à importância das mulheres ajudarem uma as outras em aspectos laborais, culturais e sociais. Foi a Primeira Secretária de Estado dos EUA durante o mandato de Bill Clinton, e antes disso foi embaixadora do mesmo país frente a ONU.

Angela Merkel: Atual Primeira Ministra de um dos países mais poderosos da União Europeia, a Alemanha. Merkel foi eleita em 2015 a mulher mais poderosa do mundo. Seu papel vem sendo reconhecido pela sua grande habilidade de enfrentar a crise econômica pela qual atravessou o mundo entre 2008 e 2016.

Indra Nooyi: Disse em várias ocasiões que “As mulheres que chegam ao topo têm que trabalhar mais duro que os homens”. Reconhecida em Wall Street como uma mulher com grande faro para os negócios, participou de companhias como Boston Consulting, Motorola e PepsiCo onde trabalha como Diretora Executiva. Seu talento para os negócios fizeram os ingressos anuais da companhia crescerem 72%.

Malala Yousafzai

Malala Yousafzai, en WOW 2014.

Malala Yousafzai: Atualmente tem 18 anos e mesmo que sendo muito jovem já ganhou um prêmio Nobel da Paz, o qual ganhou pelo seu árduo trabalho apoiando o direito fundamental das meninas à educação. Ela começou a participar dessa causa escrevendo um blog para a BBC, o que a tornou visível para grupos talibãs, que tentaram assassiná-la, fato que causou grande repúdio internacional, mas que ao mesmo tempo fez com que a sua causa fosse escutada.

Indira Gandhi: Mesmo que não seja familiar de Mahatma Gandhi, apoiou fortemente a independência da Índia. Sua carreira política começou como Chefe do Partido do Congresso, em seguida como Ministra da Informação e Radiodifusão, e depois, em 1973, foi Primeira Ministra da Índia, cargo que ocupou durante 15 anos, tempo que conduziu a Índia à industrialização.

Marie Curie: Ganhou o prêmio Nobel de Física em 1903 ao lado do seu esposo Pierre Curie e o físico Henri Becquerel. Depois ganhou o Nobel de Química em 1911, também descobriu os elementos químicos Polônio e Rádio. Além disso, desenvolveu a Teoria da Radioatividade e criou os primeiros centros radiológicos para uso militar.

Fanny Mikey: Nascida na Argentina, nacionalizada Colombiana, foi atriz, diretora e empresária, grande precursora do Festival Ibero-americano de Teatro de Bogotá, um dos eventos teatrais mais importantes do mundo. Foi eleita na Colômbia como a personagem mais importante da cultura nacional.

Mesmo que atualmente se fale de igualdade de gêneros, ainda se veem panoramas laborais onde é comum que a remuneração entre homens e mulheres nos mesmos cargos sejam desiguais. No entanto, o ideal, independentemente do gênero que pertencemos, é precisamente a igualdade: direitos e deveres iguais tanto para homens como para mulheres, pois isso garante que os avanços culturais, sociais, econômicos ou políticos não dependam do gênero se não de potencializar o talento natural das pessoas.
Read 250 times

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.